Esmeralda Vailati Negrão

Atuação Profissional: 

Atualmente, é Professora Titular no Departamento de Linguística na Universidade de São Paulo, atuando no ensino e na pesquisa. Leciona as disciplinas Elementos de Linguística I e II e Sintaxe Gerativa na Graduação e disciplinas relacionadas à Teoria Gerativa na Pós-Graduação.

Formação Acadêmica: 

Área de interesse: Sintaxe Gerativa, Teoria da Gramática, Interface Sintaxe Semântica

É bacharel em Letras com habilitação em Português Latim e Lingüística pela Universidade de São Paulo (1975) e licenciada em Letras (Português) também pela Universidade de São Paulo (1974). Tem doutorado em Lingüística concedido pela University of Wisconsin - Madison (1986), Estados Unidos. Fez pós-doutorado na University of California-Los Angeles, Estados Unidos (1995-1997). Atualmente é Professora Titular do Departamento de Lingüística da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Teoria e Análise Lingüística, com pesquisas focadas na Interface Sintaxe Semântica, voltadas principalmente para os seguintes temas: teoria gramatical, teoria gerativa, sintaxe do português, anáfora, sintaxe da quantificação e Forma Lógica.

Contato: 

Endereço acadêmico
Av. Professor Luciano Gualberto 403
Prédio das Letras
Fone: 11- 3091-4298
e-mail: evnegrao@usp.br

Linha de pesquisa, grupos e projetos: 

Descrição de línguas não-indo-européias
Estudo da variação, da mudança e do contato linguístico
Estudos de princípios e parâmetros linguísticos

 

A sintaxe gerativa do português brasileiro
Esta linha tem por objetivo descrever, de maneira explícita, os princípios que estão na base da sintaxe do português brasileiro, tendo por base os pressupostos da teoria Gerativa.

 

Descrição de Línguas não-indo-européias
A linha de pesquisa engloba a descrição de línguas indígenas brasileiras, a língua de sinais brasileira, e línguas africanas e seu contato com o português

 

Estudos de Princípios e Parâmetros Lingüísticos
Os projetos de pesquisa que se incluem nesta linha têm por objetivo investigar as propriedades comuns compartilhadas pelas línguas naturais, diluídas em sua aparente diversidade, para assim explicitar a natureza do conhecimento lingüístico.

 

Alternâncias de diátese em português brasileiro: possíveis influências do contacto com povos africanos
O projeto tem o objetivo de analisar algumas caraterísticas da inferface sintaxe-semântica do português brasileiro, que o diferenciam do português europeu. Essas características estão associadas ao comportamento de certos verbos que apresentam uma alternância de diátese particular. A hipótese a ser explorada é a de que esse comportamento pode estar associado ao contacto do português com certas línguas africanas.

 

Licenciamento por modificação: o papel das relativas
A pesquisa "Distributividade em PB e a exigência de quantificação sobre eventos" gerou um conjunto de conclusões muito interessantes a respeito das condições de licenciamento de sintagmas quantificados distributivos introduzidos por cada e do papel que o argumento evento do predicado desempenha nesse licenciamento. Uma delas diz respeito ao fato de que o acréscimo de um modificador, oração reduzida ou oração relativa, à restrição de um sintagma quantificado distributivo, em posição de objeto acaba por licenciar a ocorrência desse tipo de sintagma quantificado. Como esse modificador não pode ser apenas um sintagma preposicionado, levantamos a hipótese de que esse modificador oferece um argumento evento sobre o qual o sintagma distributivo possa distribuir, hipótese muito próxima à explicação oferecida por Dayal (1995, 1998, 2004) para o fenômeno conhecido como subtrigging, segundo o qual a característica crucial da modificação por sintagmas preposicionados e orações relativas é que esses modificadores introduzem uma variável espaço-temporal independente.

A presente pesquisa tem dois objetivos: 1) investigar as propriedades sintáticas e semânticas das condições excepcionais de licenciamento de sintagmas quantificados distributivos introduzidos por cada, quando têm sua restrição acrescida de modificadores como orações relativas; 2) investigar as propriedades de um tipo de relativa, as relativas maximalizantes com núcleo externo (Grosu, 2002), e seu papel na modificação de sintagmas quantificados.

 

Distributividade em PB e a exigência de quantificação sobre eventos
A pesquisa "O escopo dos sintagmas quantificados do português do Brasil" demonstrou que a distribuição e a interpretação dos sintagmas distributivos (DQP) introduzidos pelo quantificador cada é sensível à posição sintática por eles ocupada: quando em posição de objeto podem causar a agramaticalidade da sentença. Assumindo a teoria de Beghelli & Stowell (1997), argumentei que cada-DQPs movem-se, em Forma Lógica, para a posição de especificador de uma projeção funcional DistP, a partir da qual precisam ter sob seu escopo constituintes que ofereçam domínios sobre os quais eles possam satisfazer sua exigência de distributividade. O problema encontrado por sentenças em que DQPs em posição de objeto é que o sintagma ocupando a posição de sujeito e funcionando como sujeito da predicação dessas sentenças não podem sofrer reconstrução, em LF, para uma posição sob o domínio de cada DQP. No entanto, formas verbais modificadas tornam tais sentenças mais aceitáveis. A presente pesquisa tem por objetivo investigar o papel que o tipo de predicado e o tipo de modificaçào desse predicado têm no aumento da aceitabilidade dessas sentenças. Filiando-se a teorias que, a partir da proposta de Davidson (1980), propõem que a estrutura argumental dos predicados pode variar de acordo com ter ou não uma posição extra para eventos ou localizações temporais (Kratzer, 1995; Parsons, 1994; entre outros), a pesquisa testará a hipótese de que predicados cuja estrutura argumental contém o argumento evento satisfazem as exigências de distributividade de cada, pois permitem quantificação sobre eventos.

 

Escopo dos sintagmas quantificados: distributividade e interrogativas.
Em sua primeira etapa, a pesquisa "Escopo dos sintagmas quantificados do PB" explicou o comportamento dos sintagmas quantificados distributivos (DQPs) introduzidos pelos quantificadores cada e todo. Os introduzidos por todo, além da interpretação distributiva, mais freqüentemente introduzem sintagmas com interpretação genérica. Por outro lado, os introduzidos por cada mostraram ser fortemente distributivos, ou seja, exigem ter sob seu escopo constituintes que ofereçam domínios sobre os quais eles possam satisfazer essa exigência de distributividade. O padrão de distributividade observado nas sentenças com cada-DQPs parece estar presente, também, em sentenças conhecidas como interrogativas múltiplas, ou seja, em sentenças com dois ou mais sintagmas interrogativos. Nesta nova etapa da pesqisa as codições de licenciamento da leitura distributiva em sentenças com interrogativas múltiplas serão investigadas.

Publicações: 

Artigos completos publicados em periódicos

1. GOMES, Ana Paula Quadros ; MÜLLER, Ana Lúcia de Paula ; NEGRÃO, E. V. . "Todo" em contextos coletivos e distributivos. DELTA. Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 23, p. 71-95, 2007.
2. NEGRÃO, E. V. . A faculdade da linguagem e os sistemas de interface: as relações entre a sintaxe e a semântica. DELTA. Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 23, p. 43-64, 2007.
3. NEGRÃO, E. V. . Distributividade e Genericidade nos sintagmas introduzidos por CADA e TODO. Revista do Gel, Sào Paulo, v. 1, n. n.especial, p. 187-205, 2002.
4. NEGRÃO, E. V. . A atuação de Carlos Franchi no Departamento de Lingüística da USP. Revista do Gel, v. 1, n. n.especial, p. 87-89, 2002.
5. NEGRÃO, E. V. . O princípio de projeção estendida no português brasileiro. Revista Letras, Curitiba, v. 56, p. 141-155, 2001.
6. NEGRÃO, E. V. ; PERES, João Andrade . Algumas propriedades das construções negativas do português europeu e do protuguês brasileiro. Boletim da Associação Brasileira de Lingüística (ABRALIN), Fortaleza, v. 26, n. no. especi, p. 395-399, 2001.
7. NEGRÃO, E. V. . Wh-extractions and relative clauses in Brazilian Portuguese. DELTA - Revista de Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, São Paulo, v. 16, n. especial, p. 141-164, 2000.
8. NEGRÃO, E. V. . O português brasileiro: uma língua voltada para o discurso. Boletim da Associação Brasileira de Lingüística (ABRALIN), Fortaleza, v. 25, p. 183-199, 2000.
9. FRANCHI, C. ; NEGRÃO, E. V. ; VIOTTI, Evani de Carvalho . O uso de relações semânticas na análise gramatical. Linha D'Água, São Paulo, n. 14, p. 55-72, 1999.
10. FRANCHI, C. ; NEGRÃO, E. V. ; VIOTTI, Evani de Carvalho . Sobre a gramática das orações impessoais com Ter/Haver. Revista D.E.L.T.A., São Paulo, v. 14, n. esp, p. 113-140, 1998.
11. FRANCHI, C. ; NEGRÃO, E. V. ; MÜLLER, A. L. . Um exemplo de análise e argumentação em sintaxe. Revista da ANPOLL, São Paulo, n. 5, p. 37-63, 1998.
12. NEGRÃO, E. V. ; MÜLLER, A. L. . As mudanças no sistema pronominal do português brasileiro: substituição ou especialização de formas?. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 12, n. 1, p. 125-152, 1996.
13. NEGRÃO, E. V. . Análise gramatical eTeoria Gerativa. Estudos Lingüísticos, Taubaté, n. 25, p. 43-52, 1996.
14. NEGRÃO, E. V. . As relativas livres no PB: o efeito de conformidade categorial . Estudos Lingüísticos, São Paulo, v. XXIII, p. 1036-1042, 1994.
15. NEGRÃO, E. V. . Tem uma história que eu quero contar que começa assim: peculiaridades de uma construção existencial.. Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, n. 22, p. 81-90, 1992.
16. NEGRÃO, E. V. ; MÜLLER, A. L. . Anáfora em algumas estruturas de complementação. ESTUDOS LINGUISTICOS, Bauru, v. 19, p. 133-140, 1990.
17. MÜLLER, A. L. ; NEGRÃO, E. V. . O uso do artigo definido antes do nome próprio em português: uma análise semântica.. Estudos Linguisticos Anais de Seminarios do Gel, São Paulo, v. XVII, p. 530-540, 1989.
18. NEGRÃO, E. V. . Literatura Infanto-Juvenil: a criança negra.. CADERNOS CEVEC., São Paulo, n. 4, p. 63-65, 1988.
19. NEGRÃO, E. V. . Preconceitos e discriminações raciais em livros didaticos e infanto- juvenis.. CADERNOS DE PESQUISA., São Paulo, n. 65, p. 52-65, 1988.
20. NEGRÃO, E. V. . A discriminação racial em livros didáticos e infanto-juvenis.. CADERNOS DE PESQUISA., São Paulo, n. 63, p. 86-87, 1987.
21. NEGRÃO, E. V. ; PINTO, R. P. ; ROSEMBERG, F. . Bibliografia Sobre Literatura Infanto-Juvenil Brasileira.. BOLETIM INFORMATIVO FNLIJ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 62, p. 32-37, 1983.
22. NEGRÃO, E. V. ; PINTO, R. P. ; ROSEMBERG, F. . Children'S And Youth Literature Research In Brazil, 1976-1981: A Bibliographical Report.. PHAEDRUS, New York, n. 9, p. 61-68, 1983.
23. NEGRÃO, E. V. ; PINTO, R. P. ; ROSEMBERG, F. . Bibliografia sobre a literatura infanto-juvenil brasileira. Boletim Informativo Fnlij, Rio de Janeiro, v. 15, n. 63, p. 72-80, 1983.
24. NEGRÃO, E. V. . Redação no vestibular - utilização do Léxico: Estudo dos adjetivos.. CADERNOS DE PESQUISA., São Paulo, n. 23, p. 9-15, 1977.

Livros publicados/organizados ou edições

1. NEGRÃO, E. V. (Org.) ; MÜLLER, Ana Lúcia (Org.) ; FOLTRAN, Maria José (Org.) . Semântica formal. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2003. v. 1. 241 p.
2. KATO, M. A. (Org.) ; NEGRÃO, E. V. (Org.) . Brazilian Portuguese and the Null Subject Parameter. Frankfurt: Vervuert Verlag, 2000. 270 p.
3. EDUCACAO, S. P. E. S. ; NEGRÃO, E. V. . Mulher e Educação: o papel da mulher na sociedade (Debate).. São Paulo: SE/ATPCE, 1987. 175 p.
4. ROSEMBERG, F. ; PINTO, R. P. ; NEGRÃO, E. V. . A educação da mulher no Brasil.. São Paulo: GLOBAL, 1982. 112 p.

Capítulos de livros publicados

1. NEGRÃO, E. V. ; VIOTTI, Evani . Estratégias de impessoalização no português brasileiro. In: José Luiz Fiorin; Margarida Petter. (Org.). África no Brasil: a formação da língua portuguesa. São Paulo: Contexto, 2008, v. , p. 179-203.
2. NEGRÃO, E. V. . Um olhar para fatos de significação. In: Diana Luz Pessoa de Barros; José Luiz Fiorin. (Org.). A fabricação dos sentidos. São Paulo: Humanitas/Paulistana, 2008, v. , p. 215-228.
3. MIOTO, Carlos ; NEGRÃO, E. V. . As sentenças clivadas não contêm uma relativa. In: Ataliba T. de Castilho; Maria Aparecida Torres de Morais; Ruth E. Vasconcelos Lopes; Sônia Maria Lazzarini Cyrino. (Org.). Descrição, história e aquisição do português brasileiro. São Paulo; Campinas: FAPESP; Pontes, 2007, v. , p. 159-183.
4. FRANCHI, C. ; NEGRÃO, E. V. ; MÜLLER, A. L. . O uso das relações semânticas na análise gramatical. In: Sírio Possenti. (Org.). Mas o que é mesmo "gramática"?. São Paulo: Parábola, 2006, v. , p. 102-125.
5. FRANCHI, C. ; NEGRÃO, E. V. ; MÜLLER, A. L. . Um exemplo de análise e de argumentação em sintaxe. In: Sírio Possenti. (Org.). Mas o que é mesmo "gramática"?. São Paulo: Parábola, 2006, v. , p. 126-151.
6. NEGRÃO, E. V. ; Viotti, E. . Diathesis alternations in Brazilian Portuguese. In: Daniel Lebaud; Catherine Paulin; Katja Ploog. (Org.). Constructions verbales & production de sens. Besançon: Presses Universitaires de Franche-Comté, 2006, v. 24, p. 141-153.
7. AMBAR, Manuela ; GONZAGA, Manuela ; NEGRÃO, E. V. . Tense, Quantification and Clause Structure in EP and BP. In: Reineke Bok-Bennema; Bart Hollebrandse; Brigitte Kampers-Manhe; Petra Sleeman. (Org.). Romance Languages and Linguistic Theory 2002. Amsterdam: John Benjamins, 2004, v. 256, p. 01-16.
8. NEGRÃO, E. V. ; SCHER, Ana Paula ; VIOTTI, Evani de Carvalho . Sintaxe: explorando a estrutura da sentença. In: José Luiz Fiorin. (Org.). Introdução à Lingüística: princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2003, v. II, p. 81-109.
9. NEGRÃO, E. V. . Forma lógica e quantificação. In: Ana Lúcia Müller; Esmeralda Vailati Negrão; Maria José Foltran. (Org.). Semântica formal. 1 ed. São Paulo: Contexto, 2003, v. 1, p. 173-188.
10. NEGRÃO, E. V. ; SCHER, Ana Paula ; VIOTTI, Evani de Carvalho . A competência lingüística . In: José Luiz Fiorin. (Org.). Introdução à Lingüística. Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2002, v. 1, p. 94-119.
11. NEGRÃO, E. V. ; MÜLLER, Ana Lúcia ; PEMBERTON, G. M. N. . Adjetivos no português do Brasil: predicados, argumentos ou quantificadores?. In: Maria Bernadete M. Abaurre; Angela C. S. Rodrigues. (Org.). Gramática do Português Falado: novos estudos descritivos. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002, v. VIII, p. 317-344.
12. NEGRÃO, E. V. ; VIOTTI, Evani de Carvalho ; MCCLEARY, L. ; MORAIS, M. A. C. R. T. ; SOUZA, P. C. ; KLEIN, S. L. ; CHAVES, T. R. A. P. . Itens negativos no corpus do português brasileiro. In: Maria Bernadete M. Abaurre; Angela C. S. Rodrigues. (Org.). Gramática do Português Falado: novos estudos descritivos. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002, v. VIII, p. 345-375.
13. NEGRÃO, E. V. . As generalizações empíricas e a Teoria Sintática . In: Maria Victoria Rébori; Osvaldo Pessoa Jr.. (Org.). Epistemologia da Lingüística: problemas e métodos. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados, USP, 2001, v. 38, p. 75-84.
14. NEGRÃO, E. V. . The Scopal Properties of Distributive Quantifiers in Brazilian Portuguese. In: Ji-Yung Kim; Adam Werle. (Org.). The Proceedings of SULA. The Semantics of Under-Represented Languages in America. Amherst, Massachusetts: GLSA, The University of Massachusetts-Amherst, 2001, v. 25, p. 81-85.
15. NEGRÃO, E. V. ; VIOTTI, Evani de Carvalho . Brazilian Portuguese as a Discourse-oriented language. In: Mary Aizawa Kato; Esmeralda Vailati Negrão. (Org.). Brazilian Portuguese and the Null Subject Parameter. Frankfurt: Vervuert Verlag, 2000, v. , p. -.
16. NEGRÃO, E. V. . Asymmetries in the distribution of overt and empty categories in Brazilian Portuguese. In: James R. Black; Virginia Motapanyane. (Org.). Clitics, pronouns and movement.. Amsterdam & Philadelphia: John Benjamins Ltd., 1997, v. , p. 217-235.
17. EFES, E. P. ; NEGRÃO, E. V. . Repensar o ensino da gramática.. In: Regina Maria Hubner; Lígia Chiappini. (Org.). Quando o professor resolve: experiências no ensino de protuguês. São Paulo: LOYOLA, 1989, v. , p. 163-182.

Textos em jornais de notícias/revistas

1. NEGRÃO, E. V. . Os princípios universais da gramática das línguas naturais. Informe. Informativo da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - USP, São Paulo, v. No.35, p. 01 - 02.
Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1. NEGRÃO, E. V. . Licenciamento por modificação: o papel das relativas. In: X Simposio Internacional de Comunicación Social, 2007, Santiago de Cuba. Actas-I, X Simposio Internacional de Comunicación Social. Santiago de Cuba : Centro de Linguistica Aplicada, 2007. p. 150-154.
2. MÜLLER, Ana Lúcia de Paula ; NEGRÃO, E. V. ; GOMES, Ana Paula Quadros . 'Todo' in Brazilian Portuguese: "all", "every" or neither?. In: SULA3: The Semantics of Under-Represented Languages in the Americas, 2006, Buffalo. Proceedings of SULA3: UMass Occasional Papers. Amherst : GSLA, UMass, 2005. v. 33. p. 71-86.
3. NEGRÃO, E. V. . PRO e Controle: problemas em algumas estruturas de complementação do Português do Brasil.. In: IV Encontro Nacional da ANPOLL, 1989, São Paulo. Anais do IV Encontro da ANPOLL. Recife : ANPOLL, 1989. v. 3. p. 874-890.