Aspectos da sintaxe do português brasileiro: a emergência da língua colonial

A professora Esmeralda Vailati Negrão participou do ciclo de mesas-redondas e conferências ABRALIN ao vivo, contribuindo com a seguinte apresentação:

"Nesta conferência apresentarei aspectos da sintaxe do português brasileiro, mais especificamente fenômenos envolvendo a estrutura sentencial e a categoria da voz verbal, que podem dar suporte à hipótese de que essa língua emergiu como uma variedade colonial resultante de um processo de intenso contato multilinguístico no Brasil colônia.

Adotando como referencial teórico a perspectiva uniformitarista defendida por Mufwene (2008), DeGraff (2003, 2004) e Aboh (2015), segundo a qual os processos explicativos da emergência das línguas crioulas não são distintos dos processos que explicam a evolução e a mudança de todas as línguas naturais, a linha de investigação que venho desenvolvendo busca testar a hipótese de que traços sintáticos que distinguem o português brasileiro do português europeu e de outras línguas românicas resultaram de um processo de competição e seleção a partir de um banco de traços linguísticos. Esse banco é integrado por traços advindos de diferentes línguas que estiveram em contato no Brasil colonial: variedades do português e, muito certamente de outras línguas europeias; línguas africanas trazidas para o Brasil nesse período, com alguma certeza do grupo bantu e do grupo kwa; e línguas indígenas brasileiras, como o tupi antigo e o guarani. Evidências da história dos contatos linguísticos no Brasil colônia suportam a ideia de que as línguas europeias, africanas e indígenas mencionadas participavam dessa ecologia multilíngue".

Partipante(s)
Esmeralda Vailati Negrão
Data
Qua, 03/06/2020 - 19:00
Cartaz