GELI - Grupo de Estudos em Línguas Indígenas

Seja bem-vindo!

Pesquisa

GELI do DL/ USP tem como objetivo descrever e analisar as línguas indígenas a partir de modelos experimentais e formais. Fazemos uso de teorias experimentais e formalistas sobre cada fenômeno estudado a fim de elaborar questionários e protocolos de coleta de dados e buscamos descrever as línguas de modo que elas contribuam para o avanço das teorias em questão – corroborando ou falsificando hipóteses presentes na literatura. Trabalhamos também com os temas línguas em contato e linguística histórica.

Os principais temas estudados desde a criação do grupo em 2006 são: em fonética e fonologia, nasalidade, glotalização e acento tonal; em sintaxe, variação na ordem de constituintes, Caso, concordância, tópico, foco, estrutura argumental, aspecto e tempo, orações subordinadas, orações de cópula, ausência de determinantes, ausência de plural nominal, recursividade e negação; em semântica, nomes massivos e contáveis, pluracionalidade, definitude, modificadores, distributividade, modo, aspecto, evidenciais.

 

Projetos (línguas estudadas e projetos recentes dos coordenadores)

As línguas estudadas de 2006 a 2016 foram: Karitiana (Arikém, Tupi), Yudjá (Juruna, Tupi), Dâw (Nadahup), Hup (Nadahup), Yuhup (Nadahup), Wayoró (Tupari, Tupi), Guarani Paraguaio (Tupi-Guarani,Tupi), Kuikuro (Karib), Kalapalo (Karib), Arara (Karib), Kotiria (Tukano), Wa’ikana (Tukano), Makuna (Tukano), Tuyuka (Tukano), Tukano (Tukano), e Samuma (Yanomami).

 

Projetos recentes e atuais dos coordenadores

  • 2010-2011 – Pós-Doutorado de Luciana Storto na U. de Edimburgo (sabático) – FAPESP – Movimento Verbal, Foco e Tópico em Karitiana.
  • 2010-2013 – Projeto de cooperação internacional entre Paris 7 e pesquisadores brasileiros - Capes-Cofecub (coordenado por Roberta Pires, UFSC) - Nominais Nus no PB (português brasileiro) e em Karitiana.
  • 2013-2014 – Documentação da Língua e Cultura Dâw (Nadahup) - ELDP/SOAS - The University of London (Projeto Internacional em colaboração com Patience Epps da Universidade do Texas). Coordenadora: Luciana Storto
  • 2016-2017 – Contato e Mudança Linguística no Alto Rio Negro - FAPESP e UTexas London (Projeto Internacional em colaboração com Patience Epps da Universidade do Texas). Coordenadora: Luciana Storto
  • 2014-2017 - Bolsa pesquisa CNPq: Tempo e sua interação com aspecto e modo na língua karitiana. Coordenadora: Ana Müller.
  • 2013-2016 – Projeto de cooperação internacional CAPES, Brasil – NUFFIC, Holanda: Os efeitos da modificação na referencialidade. Coordenação: Maria José FOLTRAN Universidade Federal do Paraná & Henriëtte DE SWART, UiL-OTS, Utrecht University.
  • 2012-2014 – FAPESP, Brasil – Universidade Hebraica de Jerusalem, Israel: Cross-linguistic reflections of cognitive distinctions. Coordenação: Ana Müller.
  • 2011-2014 - FAPESP: Plural e distribuição nas línguas humanas: o caso do Karitiana. Coordenação: Ana Müller.
  • 2010-2014 – CNPq, bolsa pesquisa CNPq: Variação semântica nas línguas nativas do Brasil: a expressão verbal e nominal da noção de número. Coordenação: Ana Müller.

 

Pesquisadores

Luciana R. Storto – fonologia e sintaxe, documentação linguística

 

 

 

 

Ana Muller – semântica formal, variação na semântica nas línguas humanas, documentação linguística

Didier Demolin – fonética e fonologia experimental

 

Alunos de pós-graduação

 

Karin Vivanco

 

Karolin Obert

http://lattes.cnpq.br/8399362178180609

Doutorado (08/2015 - Bolsa CAPES) Noções de espaço nas línguas da família Tukano e Nadahup do Alto e Médio Rio Negro: influências de contato linguístico e cultural.

Orientadora: Profa. Luciana Raccanello Storto.

Este projeto de pesquisa pretende investigar os mecanismos de codificação linguística das noções espaciais nas línguas amazônicas Hup, Yuhup e Dâw (família linguística Nadahup) em comparação com a língua Tukano (família linguística Tukano-Oriental) em uma região de intenso contato linguístico que é o Alto e Médio Rio Negro. Propõe-se uma análise da relação entre figura (objeto) e fundo (ponto de referência) na construção locativa básica, além da investigação das principais categorias gramaticais que expressam esta relação tais como adposições, nominais relacionais, caso locativo, nominais adverbiais e verbos locativos de movimento, postura e posição. Ao longo do estudo será incluída a observação de possíveis efeitos do contato linguístico em relação às codificações linguísticas das noções espaciais.

Ana Carolina Alves

Joana Autuori

Antonia Fernanda Nogueira

http://lattes.cnpq.br/5699832310767754

Doutorado (2015-2019): Formas verbais finitas e não finitas na língua Wayoro (Tupi).

O foco deste projeto é a análise de propriedades gramaticais relacionadas à finitude verbal na língua indígena Wayoro (família Tuparí, tronco Tupi). Especificamente, serão investigadas propriedades da finitude verbal em ambiente sintático de subordinação.

Mestrado (2009-2011):  Wayoro emẽto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal

 

 

Lucas Cavalini Barboza

http://lattes.cnpq.br/2751282322315838

Mestrado (em andamento – FAPESP)

Título: Aspectos da glotalização na língua Dâw: um estudo de fonética experimental

Orientadora: Prof.ª Dr.ª Luciana Raccanello Storto

Este projeto de mestrado propõe um estudo fonético a respeito da glotalização na língua Dâw, entendida como uma articulação secundária que produz maior constrição glotal e, possivelmente, laríngea (Laver, 1980: 330). Em trabalho anterior, de iniciação científica, confirmamos a função distintiva da glotalização na língua (Martins, 2004: 16), que incide apenas em soantes, e observamos a existência de padrões diferentes nas soantes glotalizadas: um deles caracterizado pela fonação rangeada e outro pela voz tensa/áspera. Embora tenhamos obtido indicações importantes, consideramos necessário empreender um número maior de estudos e análises quantitativas com tratamento estatístico dos dados. Além disso, algumas questões, como a disposição temporal dos eventos laríngeos, a relação entre tom e glotalização, o processo de redução silábica e aspectos da articulação, devem ainda ser respondidas.

Iniciação Científica (2013 a 2014 – CNPq): Glotalização em Dâw

 

Elizabeth das Graças da Silva

 

Luiz Fernando Ferreira

http://lattes.cnpq.br/9719080007853179

MESTRADO (08/2015 – Bolsa CAPES): O complexo sistema de morfemas classificados como modo na língua Karitiana.

O objetivo da tese é avaliar um grupo de seis morfemas em Karitiana classificados como modo sentencial por Storto (2002) verificando se essa classificação é adequada a partir de diferentes definições de modo.

 

 


INICIAÇÕES CIENTÍFICAS

11/2014-07/2015 – FFLCH: Modalidade deôntica em Karitiana.

05/2013-04/2014 – FAPESP: A expressão do modo nas orações subordinadas do discurso indireto no Karitiana.

 

Thiago Chaves Alexandre

Mestrado

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4906031U5

Projeto: Os evidenciais do Karitiana

Nesse trabalho, estudamos o sistema evidencial do karitiana, da família Tupi. Verificamos as possibilidades e o significado da co-ocorrência dos evidenciais da língua com os morfemas de modo, em orações encaixadas, com a negação e em sentenças interrogativas. 

 

 

 

 

Iniciações Científicas

 

Tarcísio Dias (foto, Lattes, nome/datas/descrição 3 linhas do projeto)

 

Juliana Vignado Nascimento

http://lattes.cnpq.br/5891703705300183

Bolsas: CNPq  01/08/2012 a 31/07/2013 & CNPq 01/08/2015 a 31/07/2016

Projeto: Numerais em Karitiana

O objetivo deste projeto foi fazer uma descrição formal e gerativa da sintaxe e semântica do sistema numérico da língua indígena Karitiana. As principais teorias utilizadas foram a estratégia de empacotamento (HURFORD, 1987) e semântica de eventos (PARSONS, 1994).

 

Rosana Ortiz

http://lattes.cnpq.br/1885065727730517

Projeto: Lendas e Narrativas da língua indígena Karitiana

O objetivo deste projeto é resgatar lendas e narrativas já coletados por outros pesquisadores do grupo, para edição de um livro. Pretende-se apresentar linha-a-linha as narrativas e sua respectiva tradução para o português, além de um texto complementar. O projeto prevê a edição de um livro narrativas e lendas Karitiana.

 

Publicações, teses e dissertações e Apresentações

 

Teses e dissertações recentes 

 

Ana Muller, 2015.

Ivan Rocha, 2016.

Maurício Carvalho, 2016.

Jessica Clementino da Costa, 2014. http://linguistica.fflch.usp.br/node/1132

Nelsy Lorena Orjuela, 2014. http://linguistica.fflch.usp.br/node/1132

Wallace da Costa Andrade. 2014. http://linguistica.fflch.usp.br/node/1132

Karin Vivanco, 2014. http://linguistica.fflch.usp.br/node/1132

Ivan Rocha, 2011. http://linguistica.fflch.usp.br/node/567

Antonia Fernanda Nogueira, 2011. http://linguistica.fflch.usp.br/node/576

Thiago Coutinho-Silva, 2009. http://linguistica.fflch.usp.br/node/257

Suzi Lima, 2008. http://linguistica.fflch.usp.br/node/256

 

Lara Frutos

Lara Frutos

Andrea Carvalho, 2010.

Luciana Sanchez-Mendes, 2009.

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-23112009-104847/pt-br.php

 

Luciana Sanchez-Mendes, 2014.

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-28052014-122452/pt-br.php

 

Informações

O grupo não se encontra semanalmente durante todo o ano, pois são várias as subáreas da linguística estudadas. Ocasionalmente são feitos encontros para discutir leituras do interesse de todos e uma vez por ano pelo menos realiza-se um workshop em que os trabalhos de pesquisa em andamento dos membros do grupo são apresentados. Contatar os coordenadores caso tenha interesse em participar do grupo.