GELI - Grupo de Estudos em Línguas Indígenas

Grupo

 

Seja bem-vindo!

Pesquisa

GELI do DL/ USP tem como objetivo descrever e analisar as línguas indígenas a partir de modelos experimentais e formais. Fazemos uso de teorias experimentais e formalistas sobre cada fenômeno estudado a fim de elaborar questionários e protocolos de coleta de dados e buscamos descrever as línguas de modo que elas contribuam para o avanço das teorias em questão – corroborando ou falsificando hipóteses presentes na literatura. Trabalhamos também com os temas línguas em contato e linguística histórica.

Os principais temas estudados desde a criação do grupo em 2006 são: em fonética e fonologia, nasalidade, glotalização e acento tonal; em sintaxe, variação na ordem de constituintes, Caso, concordância, tópico, foco, estrutura argumental, aspecto e tempo, orações subordinadas, orações de cópula, ausência de determinantes, ausência de plural nominal, recursividade e negação; em semântica, nomes massivos e contáveis, pluracionalidade, definitude, modificadores, distributividade, modo, aspecto, evidenciais.

 

Projetos (línguas estudadas e projetos recentes dos coordenadores)

As línguas estudadas de 2006 a 2016 foram: Karitiana (Arikém, Tupi), Yudjá (Juruna, Tupi), Dâw (Nadahup), Hup (Nadahup), Yuhup (Nadahup), Wayoró (Tupari, Tupi), Guarani Paraguaio (Tupi-Guarani,Tupi), Kuikuro (Karib), Kalapalo (Karib), Arara (Karib), Kotiria (Tukano), Wa’ikana (Tukano), Makuna (Tukano), Tuyuka (Tukano), Tukano (Tukano), e Samuma (Yanomami).

 

Projetos recentes e atuais dos coordenadores

  • 2010-2011 – Pós-Doutorado de Luciana Storto na U. de Edimburgo (sabático) – FAPESP – Movimento Verbal, Foco e Tópico em Karitiana.
  • 2010-2013 – Projeto de cooperação internacional entre Paris 7 e pesquisadores brasileiros - Capes-Cofecub (coordenado por Roberta Pires, UFSC) - Nominais Nus no PB (português brasileiro) e em Karitiana.
  • 2013-2014 – Documentação da Língua e Cultura Dâw (Nadahup) - ELDP/SOAS - The University of London (Projeto Internacional em colaboração com Patience Epps da Universidade do Texas). Coordenadora: Luciana Storto
  • 2016-2017 – Contato e Mudança Linguística no Alto Rio Negro - FAPESP e UTexas London (Projeto Internacional em colaboração com Patience Epps da Universidade do Texas). Coordenadora: Luciana Storto
  • 2014-2017 - Bolsa pesquisa CNPq: Tempo e sua interação com aspecto e modo na língua karitiana. Coordenadora: Ana Müller.
  • 2013-2016 – Projeto de cooperação internacional CAPES, Brasil – NUFFIC, Holanda: Os efeitos da modificação na referencialidade. Coordenação: Maria José FOLTRAN Universidade Federal do Paraná & Henriëtte DE SWART, UiL-OTS, Utrecht University.
  • 2012-2014 – FAPESP, Brasil – Universidade Hebraica de Jerusalem, Israel: Cross-linguistic reflections of cognitive distinctions. Coordenação: Ana Müller.
  • 2011-2014 - FAPESP: Plural e distribuição nas línguas humanas: o caso do Karitiana. Coordenação: Ana Müller.
  • 2010-2014 – CNPq, bolsa pesquisa CNPq: Variação semântica nas línguas nativas do Brasil: a expressão verbal e nominal da noção de número. Coordenação: Ana Müller.

 

Pesquisadores

Profa. StortoLuciana R. Storto – fonologia e sintaxe, documentação linguística

 

 

 

Ana Muller – semântica formal, variação na semântica nas línguas humanas, documentação linguística

Didier Demolin – fonética e fonologia experimental

 

Alunos de pós-graduação

Karin Vivanco

 

KaroliKarolin Obert

http://lattes.cnpq.br/8399362178180609

Doutorado (08/2015 - Bolsa CAPES) Noções de espaço nas línguas da família Tukano e Nadahup do Alto e Médio Rio Negro: influências de contato linguístico e cultural.

Orientadora: Profa. Luciana Raccanello Storto.

 

Este projeto de pesquisa pretende investigar os mecanismos de codificação linguística das noções espaciais nas línguas amazônicas Hup, Yuhup e Dâw (família linguística Nadahup) em comparação com a língua Tukano (família linguística Tukano-Oriental) em uma região de intenso contato linguístico que é o Alto e Médio Rio Negro. Propõe-se uma análise da relação entre figura (objeto) e fundo (ponto de referência) na construção locativa básica, além da investigação das principais categorias gramaticais que expressam esta relação tais como adposições, nominais relacionais, caso locativo, nominais adverbiais e verbos locativos de movimento, postura e posição. Ao longo do estudo será incluída a observação de possíveis efeitos do contato linguístico em relação às codificações linguísticas das noções espaciais.

Ana Carolina Alves

Joana Autuori

AntoniaAntonia Fernanda Nogueira

http://lattes.cnpq.br/5699832310767754

Doutorado (2015-2019): Formas verbais finitas e não finitas na língua Wayoro (Tupi).

O foco deste projeto é a análise de propriedades gramaticais relacionadas à finitude verbal na língua indígena Wayoro (família Tuparí, tronco Tupi). Especificamente, serão investigadas propriedades da finitude verbal em ambiente sintático de subordinação.

Mestrado (2009-2011):  Wayoro emẽto: fonologia segmental e morfossintaxe verbal

 

 

LucasLucas Cavalini Barboza

http://lattes.cnpq.br/2751282322315838

Mestrado (em andamento – FAPESP)

Título: Aspectos da glotalização na língua Dâw: um estudo de fonética experimental

Orientadora: Prof.ª Dr.ª Luciana Raccanello Storto

Este projeto de mestrado propõe um estudo fonético a respeito da glotalização na língua Dâw, entendida como uma articulação secundária que produz maior constrição glotal e, possivelmente, laríngea (Laver, 1980: 330). Em trabalho anterior, de iniciação científica, confirmamos a função distintiva da glotalização na língua (Martins, 2004: 16), que incide apenas em soantes, e observamos a existência de padrões diferentes nas soantes glotalizadas: um deles caracterizado pela fonação rangeada e outro pela voz tensa/áspera. Embora tenhamos obtido indicações importantes, consideramos necessário empreender um número maior de estudos e análises quantitativas com tratamento estatístico dos dados. Além disso, algumas questões, como a disposição temporal dos eventos laríngeos, a relação entre tom e glotalização, o processo de redução silábica e aspectos da articulação, devem ainda ser respondidas.

Iniciação Científica (2013 a 2014 – CNPq): Glotalização em Dâw

Elizabeth das Graças da Silva

 

Luiz FernandoLuiz Fernando Ferreira

http://lattes.cnpq.br/9719080007853179

MESTRADO (08/2015 – Bolsa CAPES): O complexo sistema de morfemas classificados como modo na língua Karitiana.

O objetivo da tese é avaliar um grupo de seis morfemas em Karitiana classificados como modo sentencial por Storto (2002) verificando se essa classificação é  adequada a partir de diferentes definições de modo.

 

Thiago Thiago Chaves Alexandre

 Mestrado

 http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4906031U5

 Projeto: Os evidenciais do Karitiana

Nesse trabalho, estudamos o sistema evidencial do karitiana, da família Tupi. Verificamos as possibilidades e o significado da co-ocorrência dos evidenciais da língua  com os morfemas de modo, em orações encaixadas, com a negação e em sentenças interrogativas.


INICIAÇÕES CIENTÍFICAS

11/2014-07/2015 – FFLCH: Modalidade deôntica em Karitiana.

05/2013-04/2014 – FAPESP: A expressão do modo nas orações subordinadas do discurso indireto no Karitiana.

 

Tarcísio Dias

Juliana Vignado Nascimento

http://lattes.cnpq.br/5891703705300183

Bolsas: CNPq  01/08/2012 a 31/07/2013 & CNPq 01/08/2015 a 31/07/2016

Projeto: Numerais em Karitiana

O objetivo deste projeto foi fazer uma descrição formal e gerativa da sintaxe e semântica do sistema numérico da língua indígena Karitiana. As principais teorias utilizadas foram a estratégia de empacotamento (HURFORD, 1987) e semântica de eventos (PARSONS, 1994).

 

Rosana Ortiz

http://lattes.cnpq.br/1885065727730517

Projeto: Lendas e Narrativas da língua indígena Karitiana

O objetivo deste projeto é resgatar lendas e narrativas já coletados por outros pesquisadores do grupo, para edição de um livro. Pretende-se apresentar linha-a-linha as narrativas e sua respectiva tradução para o português, além de um texto complementar. O projeto prevê a edição de um livro narrativas e lendas Karitiana.

 

Publicações, teses e dissertações e Apresentações

Teses e dissertações recentes 

Ana Muller, 2015.

Ivan Rocha, 2016.

Maurício Carvalho, 2016.

Jessica Clementino da Costa, 2014.

Nelsy Lorena Orjuela, 2014.

Wallace da Costa Andrade. 2014.

Karin Vivanco, 2014.

Ivan Rocha, 2011.

Antonia Fernanda Nogueira, 2011.

Thiago Coutinho-Silva, 2009.

Suzi Lima, 2008. 

Lara Frutos.

Andrea Carvalho, 2010.

Luciana Sanchez-Mendes, 2009.

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-23112009-104847/pt-br.php

Luciana Sanchez-Mendes, 2014.

http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8139/tde-28052014-122452/pt-br.php

 

Informações

O grupo não se encontra semanalmente durante todo o ano, pois são várias as subáreas da linguística estudadas. Ocasionalmente são feitos encontros para discutir leituras do interesse de todos e uma vez por ano pelo menos realiza-se um workshop em que os trabalhos de pesquisa em andamento dos membros do grupo são apresentados. Contatar os coordenadores caso tenha interesse em participar do grupo.